terça-feira, 14 de setembro de 2010

A maravilhosa Costa Azul



Glamour, beleza e sofisticação. Se a Riviera Francesa pudesse ser resumida em três palavras, certamente seriam essas. Localizada no sul da França, a região também é conhecida como Côte D’Azur (Costa Azul) por conta do mar cor de turquesa que banha suas praias. Cannes _ famosa por sediar o festival de cinema _ e Saint Tropez, a vila de pescadores que se tornou célebre com a musa Brigitte Bardot, são roteiros turísticos dos mais conhecidos. Mas a Riviera ainda reserva outra pérolas para os seus visitantes: Nice, considerada a capital não oficial da Côte D’Azur e maior cidade da região.

À primeira vista, Nice lembra Búzios, o famoso balneário fluminense. Há quem consiga ver também semelhanças com outro destino brasileiro sofisticado: a Praia de Jurerê Internacional, em Santa Catarina. Entretanto, Nice carrega um ar ainda maior de sofisticação e ostentação. Rodeada por lojas de grife, carros importados e gente famosa e rica, a cidade, localizada na chamada Baía dos Anjos, também chama a atenção pela charmosa orla. A cor do Mediterrâneo é de impressionar, mesmo nos dias mais nublados. Aliás, muitos consideram o mar a principal atração turística local.

No entanto, as praias costumam decepcionar um pouco os visitantes, especialmente os brasileiros. A orla de Nice é repleta de pedregulhos, e muitos frequentadores costumam calçar sandálias de borracha para poder caminhar.

Vale a pena sentar nos restaurantes à beira-mar para observar a bela paisagem e os aviões que sobem e descem o tempo todo. O aeroporto da cidade, um dos mais movimentados e charmosos da Europa, fica às margens do Mediterrâneo.

À beira do oceano, também fica uma das avenidas europeias mais famosas: La Promenade des Anglais, ou Passeio dos Ingleses, que tem esse nome porque foi construído pelo britânico Lewis Way. La Prom, como é chamada carinhosamente pelos locais, tem uma extensão de quatro quilômetros, indo do Teatro de Verdure até o aeroporto.

Passado preservado
Destino de muitos italianos _ afinal, a proximidade entre Nice e Ventimiglia, na fronteira italiana, é de apenas 30 quilômetros _, a cidade guarda um dado interessante: lá nasceu o herói da unificação italiana, Giuseppe Garibaldi. Isso porque o balneário pertenceu à Itália até 1860.

Nice é famosa pela sua parte antiga. Ao caminhar por suas ruas e avenidas, o turista depara com monumentos que datam até dos tempos medievais, mas foram restaurados, como o Palácio da Justiça. Outro edifício que chama a atenção é o Hôtel Negresco, uma construção de 1912, bem ao estilo da Belle Époque. Localizado na orla, é ao mesmo tempo um luxuoso hotel e praticamente um museu.

Os mercados da cidade _ como os do Cours Saleya _ também rendem passeios bem interessantes. É possível comprar frutas, verduras, flores, peixes e até antiguidades ou fazer uma refeição nos restaurantes e nos charmosos cafés localizados nos arredores.


Não deixe de conhecer também o Château (Castelo). Situado em uma colina que separa a cidade velha do porto, ele abriga restaurantes, trilhas, um parque e um jardim botânico, uma cascata artificial e até ruínas romanas. Mas o grande barato é contemplar toda a cidade e o Mar Mediterrâneo.

Com uma vida cultural bastante intensa, a cidade ferece museus bem interessantes, como o Chagall, o Mamac (Museu de Arte Contemporânea) e o Musée Matisse. Este último fica nos Jardins de Cimiez e abriga das primeiras às últimas obras de Henri Matisse, que viveu em Nice de 1917 a 1954.

A cidade também é palco de eventos como o internacional Festival de Jazz de Nice (na segunda quinzena de julho) e o não menos famoso Carnaval. O de 2011 está marcado para o período de 18 de fevereiro a 8 de março. Trata-se de uma das manifestações culturais mais animadas do inverno da Côte D’Azur.

Na internet
Para mais informações, visite http://www.nicetourisme.com/

Vale a pena visitar os arredores

- A velha máxima de que só se conhece a fundo uma cidade quando se anda a pé vale muito para Nice. Não é grande (tem cerca de 345 mil habitantes) e, por isso, torna-se fácil caminhar por suas ruas e avenidas. Caso prefira, alugue as famosas vélos bleus (bicicletas azuis).

- Vale a pena visitar os arredores. Há um trem para Cannes, e a viagem leva pouco mais de 40 minutos. Consulte horários e preços no site http://www.raileurope.com.br/, ligado à SNCF, a estatal francesa responsável pelo serviço.

- Outro passeio bem interessante nas redondezas é Grasse, conhecida como a capital mundial do perfume, devido à importância dada à cultura de flores. Há pelo menos três perfumarias na cidade, que podem ser visitadas normalmente: Galimard (http://www.galimard.com/), Molinard (http://www.molinard.com/) e a mais antiga delas, de 1782, a Fragonard Perfumery (http://www.fragonard.com/), onde é possível conhecer todo o processo de fabricação e até comprar frascos e cosméticos a ótimos preços. Detalhe: na Fragonard, há guias que falam português.

- Assim como em outras praias francesas, é muito comum deparar com mulheres sem a parte de cima do biquíni. O topless é usual no balneário há décadas .
[Fonte: ZH Viagens]

Um comentário:

Vanessa e Enzo disse...

Fotos maravilhosas Ju e tudo bem explicadinho como sempre. Ótimo post e oblog está de parabéns!!