terça-feira, 17 de agosto de 2010

Portobello Road, Londres

Um passeio muito legal para se fazer em Londres, é caminhar pela rua que expõe as delicias da capital londrina, a Portobello Road, no badalado bairro de Notting Hill.



Personagem dos versos de Caetano Veloso em Nine Out of Ten (Nove em Cada Dez) – canção gravada no álbum Transa, de 1972, lançado no retorno ao Brasil de seu exílio em Londres –, a Portobello Road disputa a atenção com palácios, catedrais, museus e pontes esculturais da capital mundial da diversidade racial e cultural.




Ao saltar do trem na estação Notting Hill e caminhar 200 metros pela Pembridge Road, você ingressará em uma viagem ao passado. Se o seu bilhete for para um sábado pela manhã, então, a aventura é completa. É o dia da semana em que ela é tomada por uma multidão de turistas e nativos, quando expõe o que tem de melhor.



Há trechos em que fica difícil andar em meio à variedade de bancas à beira da rua. As lojas despejam suas ofertas sobre as calçadas, transformando a via em uma feira ao ar livre. 



Mas o que é ofertado? Os produtos vão desde discos raros (isso mesmo, disco, vinil, LP) até quadros, cartazes, roupas, lembranças, frutas, verduras e comida pronta. Atrações gastronômicas difíceis de serem decifradas, como as misturas que fervilham em enormes panelões, espécies de paelhas londrinas, com carnes, verduras, muito molho e tempero. Outras com arroz, verduras e carne. O aroma e o aspecto são atraentes.

A loja de suvenires estampa na rua cartazes de propagandas antigas, verdadeiras relíquias. Refrigerantes, bebidas, super-heróis, cigarros, Beatles e Rolling Stones ofuscam o brilho de ímãs de geladeiras. Lembranças de pedaços da capital londrina extraídas de um baú e colocadas à venda ou apenas à exposição dos olhos de turistas.



Os casarios encantam. Sobrados coloridos, lado a lado, emolduram a maior parte dos 1,6 mil metros da via. Em alguns estabelecimentos, a decoração chama mais a atenção do que os produtos à venda, como em uma loja de roupas que expõe no primeiro andar centenas de antigas máquinas de costura. As roupas ficam no subsolo.



E se no século passado Caetano Veloso escreveu que descobriu o reggae descendo a Portobello Road, nos anos 2010 pode-se redescobrir, por exemplo, o blues. Em meio a cafés, em uma esquina qualquer, sorve-se acordes harmônicos à bagatela de um pound (uma libra esterlina ou cerca de R$ 2,8), dois pounds, ou até de graça, como era nos anos 70.

(Marcelo Ermel para o caderno ZH Viagem. Fotos: Juliane Rocha)

Um comentário:

Chris Pessoa disse...

Ai, que saudades de Londres. Amei esta cidade.
Bjs!