terça-feira, 20 de novembro de 2007

Feriado na Serra

Existe vida além de Gramado!


Não consigo entender porque a maioria das pessoas acha que a serra gaúcha só vive de Gramado e Canela. Talvez por pura ignorância, não só do povo de Porto Alegre - que acha que é suuuuuper cool subir a serra nos meses de Julho e Agosto para sentar em alguma mesa atrolhada de um café na rua coberta e ficar espremido e quase congelar de frio só para dizer que foi no Festival - mas de muitos agentes turísticos que só sabem vender pacotes de lá. Mas vamos combinar que esta duplinha já está pra lá de enjoada.


Foi-se a época de Gramado. Mas tem um povinho que continua indo pra disputar, quase aos tapas, mesas em restaurantes, filas em restaurantes, comidas em restaurantes... Enfim, Gramado se resume basicamente em torno de algumas horas em restaurantes lotados. Trânsito engarrafado - lugar pra estacionar nem se fala - pousadas e hotéis operando com “overbookings” e tudo mais que possa irritar profundamente uma pessoa que só deseja curtir um final de semana na Serra. Assim é Gramado. Uma verdadeira cilada.


Mas existe vida além de Gramado sim! E cheia de caminhos inusitados e desenhados com a perfeição de Deus. No último feriado meu namorado me fez uma bela surpresa. Sem saber de nada e achando que passaríamos o dia na praia, arrumei uma “micro” mala com pouquíssimas roupas, e entrei no carro. Só fui perceber que estava rumo à Serra quando saímos da Freeway e entramos na estrada de Canoas.... Surpresa geral!!!! Misto de felicidade com desespero, pois na hora pensei “Caramba! Como vou sobreviver 4 dias só com uma malinha?!”. Não entendo o que se passa na cabeça dos homens que acham que só porque eles conseguem levar uma mochilinha e um tênis, acharem um exagero a gente levar 2 ou 3 malas pra passar um final de semana. Mulher tem que levar tudo. Mesmo sabendo que não vai usar metade das roupas e ainda acabar usando as mesmas... E foi realmente o que aconteceu.... Presente de namor em dobro!!! Além de me apresentar um outro lado da Serra bem mais “cool” que Gramado, ainda me ensinou que eu sou capaz de sobreviver 4 dias com a mesma calça jeans! Ou vocês acham que ele não fez de propósito, só por que na nossa última viagem ao mesmo destino, e com um dia a menos, eu levei 3 malas e não usei quase nada. Ufaaa! Mais uma etapa na minha vida vencida! Mas voltando ao destino desenhado por Deus...


De Porto Alegre seguimos direto para Veranópolis com direito a muitas paradas em mirantes, que ficam na beira da estrada, para deslumbrar a paisagem e tirar fotos (muuiitasss fotos!!!!). Quando você pára, já no primeiro, quase não acredita no que está vendo.... O vale da ferradura é uma das paisagens mais lindas que eu já vi. E é só você cuidar os botequinhos de beira de estrada que certamente vai achar um mirante. E se der sorte, como nós, até uma surpresa a mais. No primeiro que paramos encontramos um visitante inesperado: um tucano. Lindo! Acho que eu nunca tinha visto um assim tão perto. Essa estrada de Bento a Veranopólis é repleta de paisagens maravilhosas. Vales, montanhas, flores, verde e árvores que eu recomendo viajar com os vidros abertos para sentir o ar puro e ouvir os diferentes sons que as árvores produzem... Uma melodia para os ouvidos... É energia pura!

Seguindo viagem você vai encontrar a “Ponte do Rio das Antas” uma das maiores do mundo em arcos paralelos suspensos. Nesse dia a gente teve a infeliz oportunidade de ver, a olhos nu, bem na nossa frente, a idiotice humana na forma de dois caras e um casal que estavam subindo nos aros da Ponte para chegar até o topo. Por sorte saímos antes de presenciar uma tragédia e ainda acabar com nosso feriado que estava só começando. Tirando essa babaquice, a ponte é linda e dá vontade de ficar olhando e tirando fotos de todos os ângulos. Atravessando-a tem uma pequena gruta com uma cachoeira (aliás tem muitas grutas em toda a estrada, em todas as curvas) e que vale muito a pena alguns minutos de contemplação. E fotos, é claro! Veranópolis.

Terra da Longevidade e de muita tranqüilidade pairando no ar. Praça, Igreja, avenida Central. Pessoas caminhando sem pressa e sem medo. Chimarrão nas cadeiras de praia em frente as casas. Flores. Ruas limpas. Cheiro de recordação no ar... Não adianta, cidade das férias na casa da vovó, só pode trazer boas lembranças... Saudades....

Nenhum comentário: